4elementos_blogodorio.com

OS QUATRO ELEMENTOS DA ILUSÃO

 

DO COITO E DA ILUSÃO

Não acredito, no sentido filosófico do termo, na liberdade do homem.
Albert Einstein

Eu também não e fiz uma cantoria com isso o som dessa palavra, coito, que faz pensar na fragilidade liberdade sexual imposta como muita brutalidade aos nossos filhos. Fala-se de prazer a todo custo, assim quer o erotismo sem compromisso, mas a palavra coito soa incômoda, quando se trata de como querem sexo. Coito é uma palavra técnica, a mecânica da cópula, o intercurso sexual. Não é um palavrão, mas não é um modo carismático de se referir a fazer sexo. Pode-se dizer fazer amor, ficar, trepar, foder…

Moralismos à parte, o que se chama de liberdade é a abundância da oferta nas ruas. Sempre haverá alguém que lhe diga sim, vem, vem, vamos detonar essa alquimia. É muito fácil e acessível, só que envolve consequência e compromisso e a decisão de aceitar fazer isso ou não implica em felicidade pessoal. Busca-se remover esse obstáculo, além dos contraceptivos, há outras soluções pra isso. Por exemplo, diz-se que, num futuro próximo, acharemos um absurdo associar sexo com filhos, que haverá tecnologia pra isso… sexo é só prazer.

De algum modo, isso já acontece, mas essa felicidade da adoração do prazer se perde fácil e o conceito de família se perde. Essa alquimia não transforma tais elementos em felicidade. Diz-se que um coito não é nada demais, mas fica a pergunta: qual a feliz idade? Quais as regras do contrato? Bem, se essa facilidade do sim, sim, é o custo baixo do compromisso, alguém será mais feliz em dizer não, não… porque felicidade é o que interessa, mais do que prazer. Sexo envolve o prazer, como alimento envolve paladar, mas há responsabilidade envolvida nos dois casos. Penso que sexo, separado do desejo de ter filhos, é um coito, nada demais… no sentido de que não constrói.

Dois outros universos se contrapõem à ideia de sexo e ilusão não é separado de contrato de casamento e compromisso de família: crianças têm a ilusão porque fantasiam com as genitálias, mas não fazem sexo e animais, lidam com as genitálias, mas não fazem sexo (como gente faz), porque não têm ilusão. Sexo unido à ilusão, não só é um privilégio dos seres pensantes, como se associa aos fatores idade e desejo de ter filhos no universo da ilusão do prazer. Assim, a fantasia pertence à realidade, como a realidade é pertence à fantasia.

Bem, eu fiz essa música expondo um sério cuidado com isso…mas acho que não parece, eheh. Mas, falar disso sem soar falso-moralista é o que desejo. De fato, é uma soma fantástica: 1 + 8 é c’oito. Não há lógica nesse (raciocínio?), mas há fantasia e equação num paralelo de causa e consequência. Acho totalmente saudável explodir os quatro elementos da minha ilusão: a imagem, a ideia, o cheiro e a melodia. Este é meu conceito de sexo.

São 8 vezes uma
que eu falei: c’oito.
O sabão e a espuma.

C’oito te soou mais.
O que eu disse? Não ouvistes?
Isto é nada demais.

Bem, o que faz araponguinhas?
Não é o coito das arapongas?
Nisto, não há entrelinhas.

Em ti, contudo, há mais que isso,
uma complexa jornada,
equação do compromisso.

Que idade tu terias?
É tempo de fazeres bem,
de bordares as fantasias.

 

One thought to “OS QUATRO ELEMENTOS DA ILUSÃO”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *